navegar pelo menu
quinta-feira, 21 de maio de 2020

Baseado em acontecimentos reais o seriado manteve sua sobrevivência apostando em conflitos teens e no sucesso de séries sobre o além.

A série “Roswell” conquistou uma legião de fãs no mundo inteiro quando esteve no ar entre 1999 a 2002.  Na época de seu lançamento a revista “TV Guide” americana, líder no segmento televisivo, considerou esta série como umas das melhores da temporada e comparou sua temática com o “Arquivo X” com enfoque para o público adolescente. Seu sucesso foi tamanho que com a possibilidade de cancelamento na segunda temporada vários seguidores da série enviaram vidros da pimenta Tabasco, presente em todas as refeições dos alienígenas, para o canal The WB (atual rede The CW), que exibiu o seriado nos Estados Unidos. O movimento deu certo. A série ganhou uma segunda temporada ainda melhor que a primeira, deixando os dramas adolescentes de lado e enfatizando mais no conflito extraterrestre.

Elenco principal da série


As raízes de “Roswell” estão ligadas a polêmica queda de uma nave espacial na pacata cidade de Roswell, Novo México em 1947. Não há dúvida de que algo caiu nesta região no dia 3 de julho de 1947.  Porém, até hoje ninguém sabe ao certo o quê.  Nesta data um fazendeiro encontrou escombros de um objeto não identificado em seu território e chamou o xerife local para averiguar. Alguns dias depois a aeronáutica americana apareceu no local e recolheu todas as evidências. No dia 08 de julho este órgão anunciou que os escombros eram parte de uma nave espacial. No entanto, no dia seguinte os oficiais mudaram de idéia e divulgaram que na realidade um balão meteorológico tinha caído no local. Os oficiais ligados a investigação foram punidos e até o FBI entrou na jogada para assegurar que tudo não passava de um acidente corriqueiro. Mas seus esforços não adiantaram em nada. Pessoas no local afirmam que durante os anos 50 vários corpos de alienígenas foram retirados do local por pessoas ligadas ao exército. Até hoje ufólogos, sites e jornais em todo o mundo debatem o que de fato ocorreu no local.  E não surpreendentemente, a toda hora surgem notícias e pessoas dizendo e tentando provar que de fato os alienígenas estiveram em Roswell.

Baseado nestas histórias a escritora Melinda Metz lançou a coleção “Roswell High”, que inspirou a série que conta a história de  quatro alienígenas, que além de sofrerem com os problemas adolescentes característicos, devem aprender a desenvolver seus poderes para salvar seu planeta dos inimigos. Max, Isabel e Michael conseguiram esconder de todos os seus poderes desde os seis anos de idade, quando sairam de um casulo e foram adotados por famílias em Roswell. Tudo muda quando Max Evans resolve usar seus poderes pela primeira vez em público para salvar Liz Parker, uma estudante local por quem ele está apaixonado. Ela toma um tiro de um grupo de visitantes que começam a brigar no restaurante que ela trabalha e por acaso Max está presente. Este ato complica a vida de sua irmã, Isabel e de seu melhor amigo, Michael, que são obrigados a arriscar suas vidas para acobertar esta revelação.

Durante toda a primeira temporada, o enfoque foi dado as impossibilidades de romance entre Max e Liz, e a relação dos outros alienígenas com os mortais que também fazem parte da trama: Maria, uma garçonete sarcástica e apaixonada por Michael, Alex, filho de Tom Hanks na vida real, que encara o CDF da galera e se apaixona por Isabel e o xerife Valenti, que faz de tudo para desmascarar os alienígenas mas termina tendo que ajudá-os para proteger sua própria vida e seu filho, Kyle , que é salvo no último episódio por Max Evans. Tess é uma quarta alienígena que chega para atrapalhar o romance de Max e Liz e formar o quarteto real.

Já na segunda temporada, o enfoque da trama passa a ser a luta dos alienígenas na terra contra seus inimigos. Seguindo a passagem bíblica da arca de Nóe, Max, Tess, Isabel e Michael foram enviados a terra para garantir a perpetuação de sua espécie e poder restabelecer a paz em seus planetas num futuro próximo. O problema é que os alienígenas só descobrem este fato quando já tem 16 anos e portanto desenvolveram sentimentos terrestres, como o amor, a compaixão, o medo da morte e mesmo o ódio.  No fim da segunda temporada Max descobre ser o líder real do seu planeta e  cabe a ele salvá-lo. Isabel é a princesa do planeta, mulher de Michael, o braço direito no exército de Max. Tess é a companheira e esposa de Max. Segundo um livro sagrado, entregue a Max por Tess, os casais teriam que ser mantidos para que o futuro de seus planetas pudesse ter alguma esperança. O problema é que Max não consegue esquecer Liz Parker, e  sofre cada vez que suas decisões o afastam de seu amor.

Diferente muitas séries de sua época, “Roswell” conseguiu destacar e dosar o que há de melhor nos dramas adolescentes sem abusar da temática, como ocorre em outras séries do gênero. Sempre que o melodrama começa a ultrapassar suas fronteiras, os produtores acrescentam a trama outros elementos estranhos, conflitos planetários e revelam um pouco mais sobre o passado dos alienígenas. Ou seja, “Roswell” misturou o melhor de “Dawson’s Creek” (outro sucesso naquela época) com “X-File”.

Holocausto é o nome que se dá ao assassinato em massa de seis milhões de judeus pelos nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial. Essa catástrofe foi o resultado final do processo de construção de ódio de uma nação contra um povo específico que vivia na Europa. O genocídio de judeus em câmeras de gás, instaladas em campos de concentração, era parte da Solução Final dos nazistas para a "questão judia". Mas ela também incluía trabalhos forçados, maus-tratos, péssimas condições de higiene, alojamentos abarrotados e execuções sumárias aleatórias para aumentar ainda mais a tortura psicológica dos prisioneiros.

Ilustração


O blog Penso Logo Assisto preparou uma lista dedicada a esse pesadelo. É importante lembrar-se da história pra que ela não se repita. E, por incrível que pareça, tem gente que não acredita que isso aconteceu de verdade.

A primeira dica é o clássico A Lista de Schindler. Nele, Steven Spielberg confrontou pela primeira vez suas origens, recordando um passado marcado pelo extermínio racial. Liam Neeson vive Oskar Schindler. Membro do partido nazista, ele foi um industrial que, no início da Segunda Guerra, adquiriu uma fábrica de panelas e utensílios de cozinha. Seu cliente era o exército alemão e a mão-de-obra, o trabalho escravo dos judeus. Baseado em fatos, o filme mostra a transformação desse empresário alemão oportunista no salvador de mais de mil judeus, ao empregá-los em sua fábrica.

Ben Kingsley interpreta o braço direito e contador de Schindler, Itzhak Stern, um dos judeus que foram salvos. E Ralph Fiennes concorreu ao Oscar de melhor ator coadjuvante como o oficial nazista psicopata Amon Goeth.

Steven Spielberg filmou em Jerusalém e na Cracóvia. Ele coordenou a pós-produção do seu O Parque dos Dinossauros enquanto estava no set de A Lista de Schindler, montado na Polônia. Foi a primeira vez que Spielberg tocou em um assunto sobre a sua vida particular. Algo que não saiu de sua imaginação. Seus pais viviam falando do Holocausto. E a família do diretor perdeu oito parentes na Europa Oriental, muitos deles em campos de trabalhos forçados. A Lista de Schindler ganhou sete Oscars, incluindo Melhor Filme, Diretor e Fotografia, que premiou o belíssimo trabalho em preto e branco de Janusz Kaminski.

A segunda dica de filmaços que têm o Holocausto como tema é O Menino do Pijama Listrado. David Thewlis encarna um oficial da SS transferido pro interior pra assumir um cargo importante como comandante de um campo de concentração. Sua família não sabe exatamente do que se trata.

Seu filho Bruno, interpretado por Asa Butterfield,é um menino de oito anos que acredita que tal campo é uma fazenda onde as pessoas andam de pijamas listrados. Isso aguça a sua curiosidade pelo menino Shmuel, papel de Jack Scanlon. Shmuel tem a mesma idade que Bruno, mas usa o tal "pijama" e vive do outro lado de uma cerca eletrificada. E quando a mãe de Bruno, interpretada pela Vera Farmiga, entende qual é a origem da fumaça mal cheirosa que sai pela chaminé do campo de concentração, instala-se uma grande crise na família.

Mark Herman dirigiu e roteirizou a adaptação do best-seller de John Boyne, preservando a carga emocional do livro. Muito mais do que uma cerca, o que separa esses dois amigos improváveis é uma ideologia irracional. O antissemitismo decidiu que a "raça alemã" era superior e que os judeus eram os responsáveis por todos os males da sociedade alemã. E o senso comum, essa instável massa de manobra, se convenceu de uma insana teoria da conspiração sobre um plano judeu de dominação mundial.

Essa ideologia também gerou episódios como o retratado no terceiro e último filme da lista: Os Falsários. O que torna o longa diferente de outros filmes de prisioneiros de guerra é o foco sobre um personagem de pouco escrúpulo: Solly Sorowisch, interpretado por Karl Marcovics. No início da trama, na Monte Carlo de 1947, existe um certo mistério sobre esse sujeito. Ele se hospeda em um hotel luxuoso e guarda uma fortuna imensa em dinheiro vivo nos seus cofres.

É Solly quem conduz a narrativa a partir daí, num flashback. Ele começa na Berlim de 1936, quando conhecemos a sua atuação como um exímio falsário. Justamente por causa dessas habilidades, ele é preso e enviado a um campo de concentração. Lá, seus algozes resolvem colocá-lo como chefe de uma equipe de falsificadores formada por outros judeus presos. Eles dão início a Operação Bernhardt, que falsificava dólares e libras em grandes quantidades pra financiar os esforços de guerra nazistas. Mas alguns condenavam tal submissão, como Burger, personagem de August Diehl.

Esse é o principal conflito da história verídica narrada pelo diretor vienense Stefan Rusowitzky em Os Falsários, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Filmes citados:

A Lista de Schindler
O Menino do Pijama Listrado
Os Falsários

Pela primeira vez em 33 anos de história o festival South by Southwest (SXSW) foi cancelado, devido à pandemia da COVD-19. O evento ocorre anualmente, no Texas, e reúne apresentações de música, cinema e tecnologia. Como apoio aos cineastas que tiveram seus projetos aprovados, as produtoras Mailchimp e Oscilloscope Laboratories criaram um site para exibir gratuitamente os 75 curtas-metragens.

Divulgação


A lista de curtas inclui animações, documentários, produções de alunos do ensino médio do Texas e os chamados “midnighters” (suspenses sangrentos). Alguns dos títulos já ganharam prêmios em outros festivais de cinema, como “No Crying at the Dinner Table”, de Carol Nguyen; e “Just Hold On”, de Sam Davis e Rayka Zehtabchi.

“Ainda que não possamos substituir a experiência do South By Southwest, assistir a esses filmes é uma maneira de apoiar os artistas e se conectar ao mundo ao seu redor”, diz a Oscilloscope no site. O festival já lançou filmes de renome internacional, como o documentário “Spellbound” (2002), de Jeffrey Blitz, e o longa “Guerra ao Terror” (2009), de Kathryn Bigelow, que ganhou o Oscar de Melhor Filme em 2010.

Após vários anos de campanha através da hashtag #ReleaseTheSnyderCut, o diretor Zack Snyder acaba de anunciar através da live de O Homem de Aço feita através da rede social Vero, que o seu corte de Liga da Justiça finalmente será lançado, através do HBO Max.

De acordo com informações do HH, o corte original do diretor será lançado como filme ou minissérie de 6 capítulos, em um investimento de US$ 30 milhões pela Warner Bros., à medida em que o cineasta consiga reunir o elenco para refilmagens e a equipe original de pós-produção.

Divulgação


Pouco depois da confirmação do lançamento do corte original de Liga da Justiça no HBO Max em 2021, o diretor Zack Snyder comentou um pouco a respeito do material, que segundo ele, trará uma experiência completamente diferente se comparado ao que foi visto nos cinemas, via THR.

“Será algo novo e completamente diferente, especialmente falando para os que viram o filme que chegou aos cinemas, se trata de uma nova experiência.” comentou. Snyder também disse que provavelmente apenas um quarto do foi idealizado por ele chegou aos cinemas, uma vez que até agora não viu a versão que chegou às telonas.

Por fim, o diretor revelou que já não tinha muitas esperanças que o Snyder Cut fosse lançado, até que em novembro do ano passado recebeu uma ligação de Toby Emmerich, presidente da Warner Bros., que se mostrou impressionado pela força do movimento e interesse com o projeto. O estúdio estará investindo cerca de US$ 30 milhões para finalizar a versão do cineasta.

Mais informações em breve.

Do criador de “Parks and Recreation” e “The Office”, Greg Daniels, “Upload” estreia nesta sexta (1º) no Amazon Prime Video. A série original da plataforma se concentra em um desenvolvedor de aplicativos chamado Nathan. Nathan sofreu um acidente horrível e, neste mundo futuro, precisa escolher entre cirurgia e morte, apenas para ter sua consciência “carregada” em uma vida após a morte virtual.

Robbie Amell interpreta Nathan em ''Upload''.


Nathan escolhe o último e é colocado em um mundo de fantasia onde ele tem tudo a sua disposição, desde a capacidade de possuir um cachorro falante até comer o que quiser … desde que ele tenha o dinheiro para uma compra no aplicativo. A série segue Nathan enquanto ele se acostuma a viver na comunidade sofisticada da vida após a morte de “Lakeside”, onde sua namorada Ingrid e sua família adquiriram espaço. Ele também tem que lidar com um relacionamento florescente com um representante de suporte ao cliente chamado Nora, que parece estar se apaixonando pelo homem recém-falecido.

“Upload” disponível no Amazon Prime Video.

Reunimos as cinco maiores batalhas envolvendo Lannisters, Starks, Targaryens, Boltons e outras casas de Westeros

Até Game of Thrones despontar como uma das melhores e maiores produções da TV paga - nós só tínhamos vistos grandes batalhas como algumas que aconteceram ao longo de sete temporadas - nas telonas. A trilogia dirigida por Peter Jackson, O Senhor dos Anéis, é belo exemplo disso. Mas os produtores de Game of Thrones se puxaram e criaram verdadeiras batalhas campais entre os sete reinos.
O problema é que nem sempre essas batalhas acabam favorecendo a casa que torcemos, como aconteceu na batalha de Euron Greyjoy vs. Yara e Theon Greyjoy, onde Euron dizimou a frota de navio dos irmãos mesmo com a ajuda das Serpentes de Areia. Ou no duelo do Montanha contra o Oberyn Martell. Enfim, George R.R. Martin já desolou muitos corações quando escreveu As Crônicas de Gelo e Fogo, e isso tomou uma proporção ainda maior quando passamos a ver tudo em live action.

Em termos de entretenimento, a torcida em si pode ficar de lado, pois todo mundo gosta de ver o circo pegando fogo. Bora conhecer as cinco batalhas mais épicas de Game of Thrones? Então se liga:

5 batalhas mais épicas de Game of Thrones


Batalha de BlackWater

A ganancia pelo poder e uma das maiores frotas que Westeros já viu, fez Stannis Baratheon lutar pelo trono de ferro cegamente. Ele conseguiu? Não. Graças a uma arma que muitos nem sabiam mais que existia. O fogo vivo devastou a frota do Baratheon e também fez dessa batalha uma das melhores da segunda temporada.

Cerco de Meereen

Um exército com mais de 50 mil homens, dragões e uma Targaryen. Isso foi suficiente para acontecer uma das batalhas mais épicas da quarta temporada. O cerco a Meereen foi um verdadeiro caos, pois além da invasão do exército numa verdadeira fortaleza, contou também com a revolta dos escravos e a morte sem dó nem piedade muito de seus líderes.

Daenerys Targaryen vs. Jaime Lannister

Dracarys!!! Todos nós estávamos com saudades de ver Daenerys em cima de um dragão pronunciando essa palavra. E isso aconteceu até que cedo para uma temporada que muitos estavam com o pé atrás em saber como os produtores iriam se virar pra fazer a trama andar. O quarto episódio da sétima temporada chegou com os dois pés no peito, ao apresentar a cavalaria Dothraki pegando a tropa de Jaime Lannister de surpresa e dizimando boa parte dela numa selvageria completa. Cersei não esperava por essa derrota e a filha do Rei Louco teve que usar sua arma mais mortal para dar mais um passo na tentativa de se tornar a dona do trono.

Batalha de Hardhome

Desde a primeira temporada nós vemos uma série de personagens dizer a famigerada frase: "Winter is coming". Mas esse bendito inverno nunca chegava. Até que no oitavo episódio da quinta temporada, nós conseguimos ver o que todos temiam - a chegada do frio. Os White Walkers se digladiando com o povo livre foi épico! Escoltados por Jon Snow diretamente para a muralha, muitos selvagens ficaram pelo caminho e uma série de outros se transformaram em zumbis. Foi uma das poucas vezes que nós vimos uma produção gráfica de última geração empregada em uma série de TV.

Batalha dos Bastardos

Essa sem dúvida ainda é a batalha mais impactante de Game of Thrones até aqui. Jon Snow vs. Ramsey Bolton, bastardo x bastardo, foi um embate de tirar o fôlego de muitos telespectadores. Inclusive, foi uma das batalhas que lembrou outra bastante importante, a Batalha do Abismo de Helm de O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (2003). Mas segundo o diretor Miguel Sapochnik, a batalha que aconteceu no episódio nove da sexta temporada, foi inspirada nas antigas batalhas medievais como a Batalha de Azincourt e a Batalha de Canas (entre os romanos e Aníbal). Outro inspiração veio do filme Ran (1986), de Akira Kurosawa. Para gravar essa épica batalha foram necessários 25 dias de filmagens, usaram 500 figurantes, 80 cavalos, 65 dublês e quatro equipes de filmagem diferentes. 

É mole?
terça-feira, 17 de setembro de 2019

Os filmes da Sessão da Tarde, exibidos pela Rede Globo de Televisão, fazem parte da infância e adolescência de grande parte dos brasileiros. Alguns títulos como “A Lagoa Azul” (1980), de Randal Kleiser, se tornaram verdadeiros ícones. Geralmente de classificação indicativa livre, os filmes são para toda a família e possuem alguns pontos em comum. Afinal, crianças sempre conseguem vencer os bandidos, qualquer adolescente pode esconder uma sereia em casa sem que os pais notem e toda menina antissocial se torna a mais bonita do colégio. O Penso Logo Assisto reuniu em uma lista essas e outras situações típicas e improváveis dos filmes da Sessão da Tarde.

Personagens icônicos dos filmes exibidos na Sessão da Tarde


1 — Mesmo que os bandidos sejam da pior espécie, um grupo de crianças sempre pode vencê-los.

2 — Pessoas conseguem pilotar helicópteros em uma situação de perigo mesmo que nunca tenham feito aulas de voo.

3 — A menina antissocial do colégio sempre se torna a mais popular e bonita, e ganha a coroa no baile de formatura.

4 — Crianças podem crescer sozinhas em uma ilha deserta comendo frutas, pescando e nadando em mar aberto.

5 — Animais podem falar, apenas escondem isso dos humanos.

6 — Depois de apanhar de um rival por um longo período, basta um golpe único para vencê-lo.

7 — A melhor maneira de um policial prender um criminoso é fantasiando-se de velhinha e fingindo ser a babá de seus filhos.

8 — Qualquer adolescente pode esconder uma sereia em casa, sem que os pais notem.

9 — Sempre há tempo de impedir que seu grande amor embarque em um avião, mesmo que faltem apenas alguns instantes para a decolagem.

10 — Para aprender Karatê você precisa saber como esfregar um carro.

11 — Trocar de corpos é a maneira mais eficiente de resolver diferenças entre pais e filhos.

12 — Para abrir uma porta não é preciso de chaves, basta girar a maçaneta.

13 — Um dia você pode acordar e descobrir que é a princesa de um pequeno país europeu.

14 — As babás sempre conquistam o coração dos pais honestos, bonitos, milionários e solteirões.

15 — Professor de jardim de infância é um ótimo disfarce para um policial designado para uma perigosa missão.

16 — Mesmo que os alienígenas sejam mais fortes ou dominem uma tecnologia superior, os terráqueos poderão vencê-los.

17 — O termo correto para se referir a policiais é “tiras”.

18 — Picadas de abelha podem matar.

19 — Em viagens no tempo, as suas atitudes podem mudar o curso da história.

20 — Policiais atrapalhados conseguem vencer os bandidos mesmo fazendo tudo errado.

21 — O grupo de amigos nerds sempre consegue vencer os valentões no fim das contas.

22 — “Paspalho” e “bobão” são as piores ofensas que uma pessoa pode receber.

23 — Toda escola tem o revoltado, o atleta, a patricinha e o nerd.

24 — A munição de uma metralhadora é infinita.

25 — Gatos têm planos diabólicos para dominar o mundo, mas cachorros sempre os impedem e salvam a raça humana.

26 — Chimpanzés podem andar de skate e cachorros podem jogar hóquei.

27 — Só depois de o herói passar momentos de tensões e desespero enfrentando o vilão a polícia aparece (e apenas para algemar e levar o fora da lei).

28 — O sistema de ventilação do prédio é o melhor lugar para se deslocar sem ser notado.

29 — Ao saltar de uma grande altura haverá uma caçamba de lixo macio para reduzir o impacto.

30 — A família sempre consegue fugir ilesa da casa quando ela está prestes a explodir.

31 — O vilão volta para pegar o mocinho no final, mesmo depois de levar vários tiros.

32 — Os cachorros reconhecem as pessoas más e latem para elas.

33 — Quanto mais um homem e uma mulher se odeiam, mais eles vão se apaixonar.

34 — Portas podem se destrancadas com clipes de papel.

35 — Para não ser reconhecida, basta usar óculos e peruca loira.

36 — Basta cortar o fio azul para desativar bombas.

37 — Todas as vezes em que as mulheres tropeçam elas caem nos braços de um homem bonito.

38 — Seus pais não se importam se você passar dias fora de casa com seus amigos.

39 — Se uma pessoa começa a dançar na rua, desconhecidos vão se juntar a ela com a mesma coreografia.

40 — “Da pesada” ou “do barulho” são elogios.